Visitantes

domingo, abril 01, 2007

Gigante


Observemos o arranha-ceús e suas ramificações.

Seus galhos, seus veios, seus olhares.
Seus arbustos, sua seiva, sua imponência.
Seu mastro, seu cristal, seu cansaço.
Observemos o monstro erguido diante dos olhos,
murmurando em letras claras como o vento
que ali está para lembrar-nos
de que toda construção oculta um mito fundador.
Observemos o que existe ali em segredo
percorrendo a membrana que envolve toda a superfície
da estrutura que se vê.
Observemos, por dentro, a partir do fuso,
a epiderme infinita do carvalho
a nos remendar o silêncio.
Observemos com a ponta dos dedos
o topo do prédio
como cegos que tateassem a cútis
para colher a alma.
Observemos o edifício na sua pele mais sutil.

Pois só o olhar profundo
fita o gigante,
capaz de mirar a tez.


(imagem extraída de "Indecifrável" - work in progress)

14 comentários:

Lara disse...

:)

Amarilis disse...

UAU!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Nanda disse...

Bom diaaa

ameiii o post
o desenho
os versos

vc eh o maaaximo Chui!!!
Bjaum

menezes disse...

Foi realmente novo e perturbador ver o edifício como uma árvore, e vice-versa:
Nela, o projeto ou "planta" é a semente, nele a semente é a planta.
E a seiva que flui no gigante de concreto pelos elevadores somos nós, e pelos esgotos são nossos fluidos...
Gostei de aprender a ver o que antes não via. O edifício da planta e a planta do edifício ou vice-versa já me sugerem incontáveis outras metáforas...

Yone disse...

O cansaço e o segredo do mito fundador, é que mais me fala a reflexão. Obrigada por nos permitir uma refelxão poética. Beijo

Yone

Fernando Chuí disse...

É mesmo, a planta de um prédio, o prédio de uma planta.
Nós somos a seiva e nós somos o prédio...

Lara disse...

Ei Chuí!!
Realmente, não tinha pensado nisso!
Fantástico!;)
Abraços,
Lara

Laurinha disse...

nossa... que desenho lindo!

e palavras bem combinadas.


=]

marcia disse...

Fer,
eu já li este poema tantas vezes e só hj caiu a ficha.
A coisa mais louca foi perceber que eu não via, sendo que o poema chama a ver.
Esta ignorância do olha rque mira, mira e não vê chama-se "burrice".
Mas tem cura.
bjs
Marcia

Lara disse...

Chuí, se der faça um post comentando do show de ontem!!;)
Abraços,
Lara

Anônimo disse...

Seu blog está delicioso como sempre! Queria ter ido ao show ontem, adorei o que fui no Crowne Plaza, mas eu tinha aula ontem até às 23h.. e ainda da Marilena Chauí, era impossível faltar.. Vc entende meu deslumbramento de caloura, né? :-)
Bjo!!
Lili

Juliana Hatoum disse...

às vezes, em dias mais sofridos, fico pensando se vale a pena me aprofundar... se nÃo é melhor olhar o mundo pela superfície, para ter aquela alegria meio boba de quem nada sente em demasia, nada consegue perceber... mas você propõe que observemos o que existe ali em segredo... por dentro, a partir do fuso...

Tá certo. Voltemos, assim, a tentar colher a alma, o que existe ali em segredo... por dentro, a partir do fuso...

Juliana Hatoum

PS. "Show em Curitiba" [esse é o pedido e um mantra, para você não esquecer]

Fernando disse...

Não entendo este blog às vezes, alguns posts desaparecem...será que alguém sabe o que é?
beijos

Lourdes disse...

Fechui querido


que silêncio angustiante.Penso que como eu,estão todos os seus fãs que não moram em Sampa desejando notícias do seu show.
bjs
Lourdes