Visitantes

domingo, abril 11, 2010

Máscara


Preciso urgentemente de uma máscara.
Gosto de acreditar que sou feito do discurso que aprendi a ostentar.
Preciso urgentemente de uma máscara que seja bela, simpática e verdadeira. Tipo africana.
Gosto de acreditar que sou mais minha coragem que minha covardia.
Preciso urgentemente de uma máscara que saiba sorrir para os estranhos. Tipo carnavalesca.
Penso que sou menos meu corpo e mais minha alma.
Mas somente tenho certeza de que meu corpo existe.

Máscara essa que saiba uivar para a lua. Tipo Pierrot.
Não quero imaginar que sou feito daquilo de que me envergonho.
Preciso urgentemente de uma máscara que se encaixe em mim mais do que meu próprio rosto.
O que você vê em mim é uma pessoa concreta.
Preciso urgentemente de uma máscara.
Fé, discurso, vergonha, ideais. São todas palavras abstratas.
São somente palavras que revelam de mim o que ocultam do mundo na mesma medida.

Uma máscara que me faça ser reconhecido
por algo que sou em estado de desejo.


(texto de desenho de Chuí)

17 comentários:

Hamer Palhares disse...

Belo texto, brou.
Ardido, verdadeiro, sem máscara.
Máscara, persona, película de filtro do real e de contato com o outro. Que tanto nos assusta por nos refletir.

Hamer

Pós graduação - Contar Histórias disse...

Talvez o teatro... quiçá...
Ensaio...
Contato da máscara com o espectro-do-ator...
Encontro de máscaras...
Outra máscara...
Outro ensaio...
Novo contato com novo espectro-ator!
Talvez o teatro.
Quiçá! Ator?

Daniel disse...

Oi Fernando,
Um belo presente! Valeu demais. A máscara me tocou muito. Sempre achei que a questão da rostidade, ou o projeto de rostidade sem rosto, um rosto definido pela representação do "rosto ideal", velasse algo invisível. Não apenas a máscara, mas a máscara da máscara. Sou levado a imaginar uma arqueologia da máscara, como um palimpsesto... São tantas as máscaras que é preciso sem bom nadador pra encontrar a máscara que esconde as máscaras. Abraços, Daniel

Luciana disse...

Incrível seu texto!

Você não imagina como fez sentido para mim, justamente hj...


Beijos


Lu

Gabriel disse...

cada puta desenho legal, hein?
parabéns

Yone disse...

Querido Chuí, somos todos feito de máscaras necessárias pra enfrentar esse mundo com todas suas dificuldades. Mas como voce mesmo diz, somos concretos e as máscaras suavizam esse concreto. É muito bom ouvir suas reflexões porque também nos tras reflexões. Beijo

Yone

Ana Nejar disse...

Mas que tal, o Fernando, abalando o pampa cedo. Teu final foi arrasador, levo comigo, e imagino qual seria a máscara para um estado puro de desejo.
Beijos,
Ana

Mari disse...

Que delicado, Fê. Lindo demais.

Danilo Monteiro disse...

Carne e osso
Carne e osso
Essa máscara
é carniosso

Anônimo disse...

Fer,
máscara é essencial! A minha é de cetim. A dobra do meu sonho. Beijo, Au.

Menezes disse...

Sabe aquele rosto que olha você, quando você se olha no espelho?
Pois bem, ele é só uma imagem, não é o seu rosto, nem máscara nenhuma, portanto não é a que você procura.

Sabe o rosto que aquele rosto vê, quando ele olha você a se olhar no espelho.
Pois bem, o que ele vê é seu rosto e sua máscara, e é inútil procurar outra.

Pergunte singelamente àquele rosto, que rosto ele vê.
Se ele decidir responder, sorte a sua, pois é o mais perto que chegará de conhecer sua máscara.

Regiane disse...

Parabéns pelo blog Fernando, adorei!
Bjs,
Regiane Bina

Anônimo disse...

Tirou a máscara pra pedir máscara...

Como sempre, adoro teus desenhos :)

Fernanda disse...

Opa, saiu anônimo sem querer. Agora assinando o comentário...... =)

Talita Prates disse...

Gostei muito do teu texto desmascarado.

Um abraço,

Talita
História da minha alma

Nat. disse...

Por mais que se soltem discursos sobre extremas sinceridades, a 'verdade' acima de todos, concordo contigo.
Preciso de uma máscara que me faça ser reconhecida assim, sempre em estado de desejo, sempre no meu estado mais solta.

Anônimo disse...

Cadê os novos posts???????????????