Visitantes

quarta-feira, março 14, 2007

Cinema


Eu....sempre ...quis
....
..........f......a....z...e..r .............c..i...n....e......m.......a
...
....
....M..a..s .........j..á......... s..o..u.........f..e..l..i..z

........
....

S..............e ..............P..............o.............e.............m.............a

....

....

(Imagem: ¥ conversa com Dr. Hamgster em Indecifraveu de Chuí - work in progress)

10 comentários:

Hamer disse...

Valeu Chuí!
O poema já é, como mostra a expansão das letrinhas, uma forma em movimento.
Nome bizarro esse do Dotô.
Eu sempre quis fazer poema.
Mas já posso me orgulhar do que tenho lido!

Marcia disse...

O seu homem melancólico subsitui muito bem o anjo de Dürer.

Yone disse...

Que criativo! Beijo

Dinaura disse...

Bela inspiração, Fernando.

Obrigada
Dinaura

Rafaela disse...

Um viva à sua criatividade! - Viva!

beijos!

Lara disse...

Socorro, Chuí!!!rs

Já faz uns 40 minutos que tento decifrar o indecifrável de hoje!

O "Eu....sempre ...quis", estático, contrapondo com a disposição livre do restante do poema estão me intrigando! Sinto que a disposição das letras traz alguma mensagem que não compreendo! Pensei no que o Hamer comentou, mas a meu ver trata-se muito mais do movimento na obrigatoriedade da forma do que de uma forma em movimento. Pensei no desenho e a preocupação do homem que parece ter perdido a liberdade, me confundi com a expressão heróica do outro homem (que me pareceu um mestre!), e os números e letras na parede que os prende me fizeram "entrar em parafusos"!rs

É Chuí! Está passando um filme aqui na minha cabeça, mas esse filme me deixa confusa!

Beijos,

Lara

Débora disse...

Gostei muito do teu poema-imagem, da tua imagem-poema.
Abraço de estréia minha no teu espaço,
Débora Tavares

Fernando Chuí disse...

Obrigado, Débora, seja bem vinda!
Deixe na próxima o seu e-mail para retorno, beijos!

Lourdes disse...

construção ritmo-espaço
beleza plástica sensorial
olhar ver ouvir sentir
pra só então (tentar)compreender a síntese
entre as suas palavras e os seus versos
indispensável diálogo entre mim e o outro
beijos
lourdes

Lara disse...

Que lindo comentário-poema, Lourdes!