Visitantes

segunda-feira, novembro 05, 2007

Não é contra você


Não é contra você que eu luto. É contra a sua falta de bom senso.

Mas contra você não, bicho. Eu luto é contra os símbolos na bandeira que você está hasteando. Contra o futuro que você representa. Luto é contra o passado turvo que você não arreda pé, que você finca suas unhas mal feitas. Mas não é contra você.

É contra o seu entorno de esquecimento e desinteresse que eu luto, mano. É contra a sua falta de visão, que é a sua falta de pensamento. É contra o exército que alistou você e você nem se deu conta. É contra uma voz caquética que convenceram você que ela é sua. É contra esta bobagem senil que você se sente agora convocado à condição de autor e porta-voz. Mas não contra você.

Cara, eu luto é contra a sua idéia de luta. Contra a forma como você luta. É contra o uso que você faz das palavras.

É contra esse seu desamor disfarçado de posição política. É contra esse seu autoritarismo disfarçado de arte. É contra esse seu ódio disfarçado de religião.

Luto, sim, contra o seu potencial formador. Contra as armas que você usa na guerra. Contra a função para a qual você foi se pensa convocado. Eu luto uma modalidade de luta que você desconhece. Da sua luta cheia de dedos em riste e armas com gatilhos e botões, dessa eu passo longe. Desvio até. Não luto a sua luta, irmão - luto é contra ela.

Porque você não é só isso contra o que eu luto, velho. Mas eu luto todo dia contra isso em você. Pois quando você, meu amigo, se reduz a isto, é contra você em particular que eu luto. Porque eu luto todo dia contra isso em mim.

Porque eu luto, meu, é contra a mais remota possibilidade de um dia eu vir a me recrutar nesse seu lugar.
.
.
(texto e ilustração de Chuí)

12 comentários:

Anônimo disse...

adorei
vc está dylaneando novos horizontes........
guappo

Luiza disse...

Desde quando o Guappo é anônimo???

gostei muito da imagem que gerou a idéia que buscou as palavras...
Luiza

Fernando Chuí disse...

É mesmo, é o Guappônimo.
E percebi que ele tá certo, ando ouvindo muito Bob Dylan. Acho que existe algo de "It ain´t me, baby" nesses escritos...

menezes disse...

Há uma frase nesse seu texto que é a mais expressiva e eloquente: "Porque eu luto todo dia contra isso em mim."
É preciso combater o inimigo autoritário e retrógrado que existe dentre de nós, insistindo em nos envelhecer e endurecer. A cara de nosso principal adversário só não está no espelho porque é a dupla reflexão...

Enio disse...

Pô, seu, achei que fosse!!!!

Dinaura disse...

Belíssimo texto ! V. foi o porta-voz de sentimentos que compartilho, mas que eu não saberia expor com tanta inspiração.

Obrigada, querido Fernando,

Dinaura

Yone disse...

Chuí, você tem o dom de perceber a alma dos homens de maneira singular e poética. Deixa o que é lixo feito reflexão. Obrigada por compartilhar. Parabéns. Beijo

Yone

André disse...

"Pois quando você, meu amigo, se reduz a isto, é contra você em particular que eu luto"
Na mosca!

rafaela disse...

Eu sou a favor da sua 'ideologia'! =)
Muito bom o texto!

besos

Noubar Sarkissian Junior disse...

Chuí, eu, que sempre estou por aqui, senti um impulso de deixar rastro (e me animei com o show no sesc ao lado do carpinejar! Ah, se eu vou!)

É isso tudo que você disse: lutamos contra a luta que julgamos vã nos outros e para nós. Cada vez minha admiração por ti é maior!

Um abraço!

Lara disse...

Arrasou!;)

Giuliano disse...

Penso que essas palavras provocaram-me. Observo pessoas com essas vestimentas pelas ruas e às vezes as encontro em meu guarda-roupas.
Abraço