Visitantes

domingo, agosto 26, 2007

O palíndromo de Roma


Roma fundou
o oposto do amor:
o império de dentro
pra fora.

Crescer, crescer,
tornar-se maior
tomando mais e mais
territórios à sua volta.
Assim se inventou
o conquistador:
Alexandre, Julio César, Don Juan.
De mil espaços,
de mil governos,
de mil mulheres.
.
Foi assim também
que se instaurou
o império da metrópole.
Os geógrafos nos explicam,
a urbis é o organismo
que cresce para os lados:
para fora.
Com seus milhões de carros, de casas,
de gentes e de ausências -
Acelerado, desordenado
e para fora.

Assim se faz devastar
o lugar chamado amor.
Fecundando paixões falsas e suicidas,
gotas de perfume, lágrimas
que se derramam sobre um rio negro,
circulos que se desenham
e se desmancham
ao crescer para fora.
.
O amor é o contrário da metrópole,
cresce para dentro
quando a lógica seria transbordar,
não de alegria,
mas por falta de espaço,
falta de tempo.
Pois o tempo do amor
corre à margem do império -
uma margem que corre dentro.
.
Roma e Amor -
um palíndromo não é por acaso.
(acaso é a morte de todos nós)
O amor é uma força contínua
que só é capaz de crescer
para dentro.
.
Para dentro,
é somente para dentro
que todos os caminhos
levam a amoR.
.

(texto e desenho de Chuí)

14 comentários:

Anônimo disse...

é isso aí fê.......gostei
dando uma nota de 0 a 100 dou 101...
guappo

marcia disse...

Fer,
obrigada por sua reflexão urbi et orbi (à cidade e ao mundo) sobre como perdemos o amor por alcançar Roma, metáfora desta vida sob a obediência ao Império, ao capital, ao sofrimento e ao nonsense.
Perdemos a chance de conhecer o caminho que leva para dentro.Vou procurar de novo.
beijos
Marcia

hamer nastasy disse...

Matador!!!
Ouvi que o símbolo para gente em japonês é um "Y" invertido, ou seja, se a perninha menor vem abaixo, todo o sistema vem abaixo. O amor tem este signo de interdependência e de "dentro para fora", que seu poema fisgou de forma bela e torrencial.
Valeu!

rafaela disse...

O amor é isso aí! Pena que nem todos vêem...
Belo anagrama!

beijos!

Anônimo disse...

Fernando,
como você surpreende a cada poema contento-me a ler os comentários muito inteligentes de seus leitores e amigos queridos compartilhando de suas opiniões.
bjs, Aurora.

Luiza disse...

Fernando, você é um radar...e um radar é radar de qualquer jeito...ainda que começando pelo fim...só radar!
Luiza

Fernando Chuí disse...

Rafaela está correta, amor é um anagrama escondido em Roma, e somente juntas é que "Roma e amoR" formam um palíndromo.
Radar é uma palavra-palíndromo autêntica!

Fernando disse...

Lindo texto, Xar�.
Muito denso e verdadeiro.
Parab�ns!
Cavallieri

Dinaura e José Carlos disse...

Olá, Fernando,

Muito interessante o Palíndromo !

Assistimos ontem ao espetáculo "Canções para cortar os pulsos - a música de Tom Waits" (abaixo) e gostamos muito.
Caso você se interesse, as últimas apresentações serão no próximo final de semana. É preciso fazer reserva antecipadamente por telefone.

Abraço

Dinaura e José Carlos

Yone disse...

Oi Chuí, muito interessante seu texto. Tem um antropólogo na USP que escreveu um artigo que se chama: "De fora e de dentro..." falando sobre as megas estruturas e o quanto o ser humano se perde nisso tudo. Também um americano esteve aqui falando sobre a Geografia Urbana. Como ve, você é um cientista também. Beijo

Yone

Menezes disse...

Há uma fina percepção que seu texto explora, na inversão da palavra e na inversão do conceito, e que eu sintetizaria como: Roma é o símbolo do querer conquistar, amoR o do deixar-se conquistar.

Lara disse...

;)

Nanda disse...

Chuiiiiiiiii
meu eterno Chuiiii
que saudade de ti!!!!
faz tempão que não apareço por aquiii

*sentiu as rimas da garota né!!* hahaa =P

então.... estive tão ocupada com trabalho nos ultimos tempos.... estava tratando de fazer por merecer um aumento no serviço... o que me custou muiiiitas horas extras...
Mas enfim.... consegui meu aumento de salário e uma bonificação por meus serviços!!! Estou muito feliz... e hoje, a primeira coisa em que pensei fazer quando chegasse em casa, era comentar aqui no seu blog, desculpar-me pela minha ausencia e dividir minha alegria!
=D

Então... ameiii esse texto, é lindo! Me faz lembrar do filme "O Rei Arthur", que assisti ontem. Dele lutando por Roma e tal... =]
Amooo vc idolooooo
Otimo resto de semanaaa
Beijãoooo!!!

clarita disse...

adorei, Fê... voltei de Roma ontem...voltei pro blog.

Beijocas pra vc e family!