Visitantes

quinta-feira, setembro 28, 2006

Wow! The Dirty Darling! - Crônica de uma Banda de Garagem

Resolvi publicar neste blog, juntamente às tiras de Bigatto & Mamel, minhas memórias e reflexões a respeito de minha primeira banda de garagem, The Dirty Darling.
A primeira banda tem um significado muito marcante na vida de um garoto. É algo semelhante à primeira namorada, porém muito mais intenso e relevante na formação do indivíduo. Pode parecer exagero dar toda essa importância a um fato aparentemente tão prosaico na adolescência de tantos e tantos aspirantes(ou não) a músicos, todavia falar da primeira banda é falar de todas as primeiras bandas que existiram e diariamente se multiplicam pelo mundo. Que me perdoem os leitores que não tiveram essa experiência, e peço que não se retirem, magoados com o sentimento de exclusão que possa ter sido provocado pela leitura destas primeiras linhas, pois sei que há algo em uma banda de garagem que trascende à pura relação com a música popular ou com este segmento ou faixa etária.
Falar da primeira banda é refletir sobre os sonhos. Não os sonhos perdidos ou destruídos, mas os sonhos experenciados e curtidos. Aqueles que, como diria o Adão Iturrusgarai em suas tiras, nos libertam de uns dez ou vinte anos de análise. Pois, quando na vida se tem um sonho bom, é disso que mais tarde se lembra; não de não tê-lo realizado com todas as suas promessas, mas da forma tão intensa e honesta como se pode ter um sonho, uma forma que jamais será revivida da mesma maneira.
Uma banda de garagem nos ensina a sonhar direito. Não é como desejar a garota mais bonita da sala ou almejar o game, a bicicleta ou, mais tarde, o carro do ano.
O grande sonho é sempre um sonho coletivo.
Ao se referir à sua própria banda, um garoto sempre se refere a esta entidade em terceira pessoa(no meu caso, eu dizia coisas como "nossa, o Dirty Darling amadureceu, heim?"), algo que o redime de um declarado narcisismo, apesar de este efetivamente existir, mas de forma saudável. E o melhor de tudo, não se sonha só.
Alguém se lembra de uma frase bonita que a propaganda da esquerda política brasileira gostava de usar antes de passar para o lado sombrio da força? "Sonho que se sonha sozinho é apenas sonho, mas sonho que se sonha junto é realidade." Pois é, a banda de garagem tem a força desta realidade.
Wow, The Dirty Darling! era o nome de uma das primeiríssimas músicas produzidas naquela época inicial do grupo, mais precisamente no primeiro dia de nossa banda de garagem; para ser mais especifico ainda, ainda não ocorreu em uma garagem, mas no quarto do Bigatto.
(continua...)

6 comentários:

Anônimo disse...

Não vou contar quem sou eu, mas eu já fui ao show do Dirty Darling!!! Eu comprei um tênis/ Ele se chama Rock Star!!!

Eugênio disse...

Hehehehe...
A crônica está excelente, mas as tiras com o Bigatto estão melhores ainda.

Abraço,

Eugênio

clarita disse...

mais crônicas sobre o DD já!!!!
até hoje tenho a minha demo, guardada com muito carinho...

beijos saudosos
Lu.

Fernando Chuí disse...

Será que você consegue passar pra cd e me mandar? Eu não tenho!

Fernando Chuí disse...

Já estão, vindo as novas, Lu. Estava esperando algum dos DDs se manifestar, heh...

clarita disse...

eu nao entendo dessas coisas, mas já dá para passar fita cassete para cd?? eu trouxe ela comigo, está aqui em madrid, fe. quando eu for pra SP a gente dá um jeito de copiar!!
Beijoooooo
Lu